Quero sair daqui, de preferência correndo. Quero desviar os muros e as pessoas que insistem em descer as calçadas e procurar a condução que mais rápido me leve pra longe. Nem precisa ter pressa pra chegar ao destino porque nem eu mesma onde seria. Quero apenas fugir... dos olhares, dos julgamentos e dos ciscos que corrompem a minha felicidade, das traves que  



Escrito por Dahiana Araújo às 00h22
[] [envie esta mensagem] []



Há poucos dias me disseram que eu possuía uma "fortaleza maquiada de fragilidade". Gostei da sensação de saber que as pessoas me vêm como alguém que está sempre de pé, de cabeça erguida, mesmo quando a luta está árdua, mesmo quando sei que o amanhã pode ser ainda mais doloroso. Foi assim que consegui encontrar "no fundo do poço" de cada dia um impulso criativo. Por isso nunca afundei!



Escrito por Dahiana Araújo às 01h54
[] [envie esta mensagem] []



Desejos apressados

Eu decidi experimentar o mundo. Coloquei nas dúvidas a coragem para arriscar, esquecendo tantos prós e contras que isso pudesse me trazer. Desde então, assumi minhas vontades e desejos e passei a realizar aquilo que eu sonhava e a fazer aquilo que o medo me impedia de tentar, pelo simples receio ou excesso de pudor.

Fui desconstruindo dento de mim as imagens que há anos eu guardava e que me faziam antecipar os julgamentos acerca daquilo que eu nem conhecia, mas queria experimentar. Devagar, eu optei por escolher aquilo que eu realmente almejava e não somente o que os demais pensavam que eu poderia desejar.

Me soltei, me larguei e deixei o vento me apontar as escolhas que me fizessem aproveitar cada brisa como um pedaço dos sentimentos que eu estava guardando há tantos anos. Dessa forma, eu fui percebendo que o que eu procurava não estava tão distante e que as imagens, sentimentos e ações que construímos dentro de nós podem ter tido seus papéis trocados, nos fazendo viver momentos inconstantes.

Eu consegui dar passos mais firmes, sem antecipar conclusões que antes existiam apenas dentro de mim. Eu dividi o tempo entre o refletir e o experimentar de forma mais justa, de um modo que eu pudesse não ter certeza do resultado dos meus atos. Fui ficando mais plausível e compreensível comigo mesma, o que já não acontecia há muitos anos.

O resultado de tudo isso é que vivo um novo ciclo, em que os medos e as reflexões ainda fazem parte de mim, mas com a certeza de que enquanto esperamos pelas respostas certas a vida vai carregando a vida, escondendo as decisões corretas que muitas vezes não deu tempo tomar.



Escrito por Dahiana Araújo às 00h41
[] [envie esta mensagem] []



 Devaneios

Quero tocar nas nuvens silenciosas e apreender os suspiros apressados dos pássaros que se adiantam na imensidão do céu aberto. Enquanto vôo calada pelos pensamentos tortuosos e busco criatividade para encarar essa vida de agora, sonho acordada e espero amanhecer entre devaneios sóbrios de quem não precisa refletir.... pelo menos por enquanto.



Escrito por Dahiana Araújo às 00h21
[] [envie esta mensagem] []



Ano Novo sem vida nova

Neste novo ano que se inicia não quero vida nova, quero ver renovada as esperanças e os sonhos ainda não realizados.
Quero ver as famílias unidas e reunidas em torno de abraços calorosos e conversas ao redor das mesas de café-da-manhã.
Quero acreditar que o recomeço que se inica também vale para os nossos dias que, intermináveis, vão colorir outros 365 dias em busca de soluções diárias que criam momentos felizes.
Quero sentir ainda maior a fé no Criador, que incansável, tem nos dado a chance de recomeçar, não só os dias, mas os anos e até as nossas próprias vidas. 
Em 2009, não quero vida nova, quero ver a minha vida repleta de novidades divinas ... amém!



Escrito por Dahiana Araújo às 01h04
[] [envie esta mensagem] []



Gostosuras da Infância

Gostosuras esquecidas, abraços não dados, palavras não ditas por conta do simples bom senso de adultos responsáveis, com a vida, com as palvras. Se cada um de nós tivéssemos de volta, por apenas alguns miutos, a inocência de nossas crianças interiores talvez conseguíssemos dizer palavras no momento certo e conceder abraços aos braços desejosos. Com isso, a inocência de quando crianças traria de volta as gostosuras esquecidas. 



Escrito por Dadinha às 23h18
[] [envie esta mensagem] []



 

Aparento tranqüilidade e satisfação, mas o tempo e as amarras da vida vêm a cada dia mostra-me o que mais me apavora dia a dia. Inconstante e insensata, procuro, por vezes, desprender-me dos apegos conformistas para buscar no meu irremediável avesso sinceros motivos para continuar como estou, num cansado e temível quase... Mas é o quase que me distrai e me consola nas noites de incertezas! Parece que em rodeios e devaneios encontro sentidos no meu inevitável desavesso ... e de novo me vejo no irremediável, pelo menos por enquanto.

 



Escrito por Dadinha às 22h50
[] [envie esta mensagem] []



Estamos todos os dias na doce espera de um novo amanhecer; em busca de outros 
 rumos por onde possamos caminhar; a procura de novas chaces para recomeçar...



Escrito por Dadinha às 15h06
[] [envie esta mensagem] []



A chance de um caminho sem pedras desenha o risco
de poucas aventuras. Quando desenhamos  nossos caminhos,
descobrimos curvas inesperadas. Para cada curva, há uma difícil tarefa,
mas para  cada tarefa uma recompensa  prazeirosa. Sigamos em busca...



Escrito por Dadinha às 17h15
[] [envie esta mensagem] []



Pouca coisa mudou, mas algo aconteceu porque tudo está diferente,
por dentro e por fora também.  Os pensamentos paracem não alcançar mais
as palavras que, apressadas,  ultrapassam a caneta, o teclado, perdendo-se no
vazio do  esquecimento, dos sonhos tímidos e escondidos. E quem garante que o
esquecimento não pode  um dia rebelar-se  e trazer o passado de volta em forma
de saudade? O esquecimento está guardado em uma certa caxinha azul que aguarda
o fim da pressa e dos afazeres diários para cair aberta em forma de surpresa e lembrança.
Amanhã pode ser a sua caixinha.



Escrito por Dadinha às 12h02
[] [envie esta mensagem] []



A próxima música é do Skank e está nas paradas de sucesso...

"Não me amarro a dinheiro não, mas elegância..." Me amarro, portanto, em elegâncias várias.
Elegância física certamente ganha minha atenção, mas são as elegâncias naturais e espirituais que me despertam a ateção e me fazem refletir sobre os presentes que tornam nossos olhares e atos mais sensíveis a certos acontecimentos e realidades.  Elegâncias naturais me trazem a Majestade Divina, o poder que a natureza ganhou de nos encantar a cada pulsar do relógio...elegâncias espirituais me remetem às grandezas que podem ser acrescentadas à alma, nos fazendo mais sutis nas refelxões e julagamentos tolos. Portanto, tenho dito e repetido, a elegância a qual me amarro possui aroma de flores e  reflete as esperanças de almas renovadas a cada brilho matinal.
 

 



Escrito por Dadinha às 23h52
[] [envie esta mensagem] []



Nesse mês de abril resolvi fazer algo diferente.. pra diversificar e divertir...
Os meus posts vão partir de algum trecho de músicas..
Quem quiser pode sugerir músicas também, e textos!
Pra começar com chave de ouro, Guilherme Arantes.
 


"Amanhã será um lindo dia(...)" Tenho esperança em
cada amanhecer porque acredito que Deus nos
dá uma nova chance de corrigir os erros. Gosto quando
o sol nasce, gosto dos seus raios tocando minha
pele e do brilho que ilumida nossas manhãs. Gosto
da certeza de um novo recomeço, novas conquistas
e novas experiências. Gosto quando amanhece. E quando
anoitece  busco as recompensas do dia que
adormeceu. Sou feliz quando amanhece...



Escrito por Dadinha às 23h51
[] [envie esta mensagem] []



Minha janela

Minha janela possui flores e sentimentos. Quando está fechada encanta pela fachada.
Q
uando a mantenho aberta os ventos fortes balançam as cortinas de seda que reluzem brilho e
pureza, encantando quem ousa se aproximar... minha janela guarda conforto e insegurança, expõe beleza
e maturidade, mas contorna os traços de olhares que se aproximam e se afastam. Minha janela possui paisagens
e mesmo  fechada consegue transmitir a beleza de cada amanhecer, porque os vidros são frágeis, mas belos e intactos.



Escrito por Dadinha às 00h06
[] [envie esta mensagem] []



Pela janela encontramos novos mundos e novos rumos.. pela janela buscamos
novos desafios e estamos despidos frente às novas descobertas de cada olhar. É por isso que
nos compomos adequadamente na frente da janela... mas os ventos fortes sempre surpreendem.



Escrito por Dadinha às 12h29
[] [envie esta mensagem] []




"Todas as flores do futuro estão nas sementes de hoje."
Provérbio Chinês



Escrito por Dadinha às 22h58
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]





Meu perfil
Me defino e me completo com as palavras. Quando procuro respostas para as dúvidas da vida me encontro com o papel que, prestativo, me dá espaços para que eu possa me revelar, ao mundo e a mim mesma. Acredito em Deus, no amor e na vida e quando os obstáculos insitem em atravessar os caminhos tortuosos, enfrento cada pedra como um desafio, buscando em cada amanhecer uma esperança para o dia que recomeça, com novas chaves e novas opções de escolha. BRASIL, Nordeste, FORTALEZA, Mulher


Histórico
Votação
Dê uma nota para meu blog


Outros sites
Blog da Menina que não faz cocô
Blog Michlle Gianella
Segredos de Liquidificador
Blog do Biquíni Cavadão
Um Ringue pra Dois
Sou Médica, E agora?
Miclay
Estúpida Mente
Microargumentos
IDEÁLIA
Clube do Livro
Segredar
Diariamente
Diva do Divã
Cabeças a Fora
Doce Lucidez
Paulo Jales - Designer
Aldeia dos anjos
Minha Mochila Digital
Cardápio da Alice
Amiga do Espelho